Dicas de Prevenção

A aplicação do Programa de Controle Integrado de Pragas prevê um conjunto de ações fundamentais que visam eliminar ou minimizar os riscos de ocorrência de insetos, roedores e pragas de grãos.

As recomendações, de forma geral, são as seguintes:

As instalações não devem ter:

• Possíveis pontos de entrada de insetos no ambiente, como falhas de vedação em tubulações, ralos sem proteção, portas e janelas mal vedadas, etc.;

• Azulejos mal assentados ou quebrados;

• Acúmulo de água em drenos, ralos ou caixas de inspeção;

• Vazamentos em dutos de água e torneiras;

• Falhas na manipulação e guarda de lixo;

• Presença de entulho, materiais fora de uso, caixas e embalagens mal armazenadas;

• Mato e gramas não aparados;

• Estrados com presença de infestações por cupim ou broca;

• Lâmpadas fluorescentes das áreas externas próximas as portas devem ser trocadas por luz de sódio;

• Lâmpada de luz de mercúrio podem ser utilizadas externamente desde que longe de portas, agindo como atrativas de insetos noturnos voadores;

• Nas áreas de estocagem, deve-se manter distância mínima de 30 cm entre as paredes e os pallets de produtos. Entre o piso e os pallets, distância mínima de 20 cm;

• Quaisquer sinais de roeduras, fezes, trilhas, pegadas e ninhos de roedores devem ser notificadas, bem como mudas de pele, pena ovos, odores de pragas, etc;

• Locais de acesso devem ter telas ou cortinas plásticas;

• Não devem existir resíduos que sirvam de alimento a aves, roedores e insetos;

• Devem ser desenvolvidos programas de limpeza e higiene junto aos funcionários, familiares e comunidade;

• Poeira e materiais deteriorados devem ser retirados;

• O lixo deve ser devidamente acondicionado e retirado com frequência;

• Não devem haver juntas de mais 1 cm nas portas;

• É recomendável o uso de cortinas de ar nos acessos;

• São proibidos gatos, cães, etc.;

• Dispor de técnico conhecedor dos princípios ativos. Não utilizar produtos de alta toxicidade;

• Nos casos de fumigação, atentar para todos os requisitos de segurança necessários;

• Evitar árvores e postes ao lado de armazéns;

• Deve existir boa iluminação em todas as áreas;

• Os produtos armazenados devem e obedecer ao PEPS (primeiro que entra é o primeiro que sai);

• Deve existir limpeza e inspeção diária na área de armazenagem;

• A temperatura e ventilação de silos deve obedecer às recomendações técnicas para cada produto, bem como a umidade dos materiais armazenados e a umidade relativa do ar;

• Quaisquer indícios de casulos e teias, larvas ou traças, trilhas e grãos atacados devem ser notificados. Fungos idem.

• Linhas de esgoto e efluentes devem ser totalmente isoladas;

• Paredes e superfícies devem ser lisas, com juntas de dilatação;

• Não devem existir sacarias abertas com vazamento de produtos;

• Alicerces devem ser providos de chapas metálicas nas junções com paredes, onde o acesso de roedores seja viável;

• Devem ser afastados das imediações: aterros sanitários, matadouros, pântanos, águas paradas, criadouros de porcos, lagoas de decantação com material orgânico decomposto, etc.;

• Quando de reformas ou demolições, prever a migração de pragas;

• Veículos e embalagens recebidos devem ser inspecionados;

• Roedores mortos devem ser incinerados ou enterrados;

• Divulgar a educação sanitária a todos os envolvidos com a fabricação e operações de produtos alimentícios.